[GSK] Guru Arjan Dev Ji

por Gurusangat Kaur Khalsa


Em 1606, o imperador muçulmano Jahangir ordenou que o Guru Arjan fosse torturado até a morte por ter se recusado a retirar do Siri Guru Granth Sahib todas as referências islâmicas e hindus.


Guru Arjan compilou o Livro Sagrado do Sikh Dharma com poemas e composições de inúmeros sábios e santos de várias tradições, qualificando essa escritura como algo muito além de seu próprio tempo, devido a sua universalidade e tolerância.


A condição imposta ao Guru Arjan escondia no fundo uma raiva devido a muitos muçulmanos terem se convertido aos Ensinamentos do Guru Nanak e, segundo relato escrito naquele mesmo ano pelo padre jesuíta Jerônimo Xavier que presenciou acena da tortura, por também ter recusado pagar a multa de não ser muçulmano. Segundo este jesuíta, Jahangir buscava com a tortura desumana do Guru Arjan uma retratação e o pagamento, que confirmaria a soberania muçulmana na Índia.

Como o Guru não cedeu, ele foi colocado em uma lâmina de ferro incandescente, enquanto areia em altíssima temperatura era derramada sobre seu corpo. Depois de suportar toda a crueldade do imperador, no quinto dia de tortura implacável, ele foi levado para um banho no Rio Ravi. Sob os olhares de todos, ele entrou nas águas e jamais retornou ou foi encontrado. Seu desaparecimento permanece um mistério desde então.

Guru Arjan era amado por inúmeras pessoas de diferentes credos. Mesmo o Imperador Jahangir, antes de assumir o trono, teria se apresentado na Corte do Guru para ser abençoado. Guru Arjan era conhecido por sua forte inclinação para as línguas, artes e arquitetura. Como todos os demais Gurus, seu pontificado foi marcado por grande luta pela igualdade, justiça social e serviço à humanidade sem qualquer distinção. Como sucessor na linhagem do Guru Nanak, ele seguiu os passos de seu pai, Guru Ram Das, e vivia uma vida de trabalho, seva e meditação.

No auge de sua tortura, seus alunos e amigos imploraram para que ele interrompesse tudo aquilo, simplesmente parando de respirar, já que como yogi, ele sabia e podia muito bem fazer isso. Mas, ele lançava a todos um olhar compassivo e dizia que jamais faria isso, pois, no futuro distante, os alunos do Dharma, privados daquele momento, deveriam saber que ele não interrompeu a sentença escapando através do uso de seus poderes yógicos. Ele queria que todos soubessem que ele recebeu sua sentença sabendo ser verdade as palavras do Guru Nanak – tudo vem de Deus.

Sua passagem é revestida de uma monumental verdade: seja lá qual for as circunstâncias, cada ser humano pode se erguer acima delas e permanecer fiel à sua identidade e morrer pela paz!

Como está dito no Siri Guru Granth Sahib, “lute por aquilo que seja correto, ainda que isso implique em você permanecer só”.

Que o legado do Guru Arjan nos inspire a viver uma vida correta, digna e dedicada ao que é correto, sem medos ou sem nos corrompermos para sermos aceitos.


Wahe Guru, Sat Nam.

Belo Horizonte, 5 de Junho, 2014.

Categorias
Posts Recentes
Arquivo
Tags  
SOBRE NÓS

A Associação Brasileira dos Amigos de Kundalini Yoga, filiada à Fundação 3HO, tem por propósito divulgar a tecnologia e os ensinamentos do Kundalini Yoga e do Shabad Guru no Brasil, servindo a todos na busca da excelência e da manifestação de seu ser original, criativo, livre e digno.

LOCALIZAÇÃO

Rua Yvon Magalhães Pinto, 511

São Bento .  Belo Horizonte

MG . 30350-560 . Brasil

Telefone: (31) 3090-5508 

secretaria@abaky.org.br 

CONECTE-SE

© 2018 por Abaky.

  • Instagram - White Circle
  • Facebook - White Circle
  • YouTube - White Circle
  • SoundCloud - White Circle