[GSK] Estar em alerta, servir e não se preocupar

Aula ministrada por Gurusangat Kaur Khalsa em 15 de setembro de 2017


Satnam, pessoal. Tenho uma notícia para vocês. Eu estava me retirando desta história, mas agora eu estou me colocando: no ano que vem vou levar professores e alunos que quiserem fazer um Yatra no Novo México, no solstício. Vocês que quiserem, em fevereiro os e-mails começam a ser liberados para a gente poder fazer essa viagem. Não tenho saudade nenhuma, mas tenho que ir… A turma de Brasília em peso está querendo ir. Acho que está na hora de mostrar aos novos alunos a casa do Yogi Bhajan, como aquele pessoal serve, que foi o que tanto nos inspirou a servir daquele jeito. Chegou a hora. Maravilha! Parece que o ano que vem é o ano dos Yatras, para Índia , para o Novo México…


Aluna: Yatra para o México.


GSK: Para o México?


Aluna: Esperamos que o Sat Nam Rasayan seja no México…


GSK: É fevereiro também, não é? Muito bem! Tragam suas mão em Pranam Mudra… Inspire profundamente, expire... Acesse a sua identidade yóguica e como ela reverbera em você e a sua volta, e inspira nela e por ela para começarmos.


[GSK abre a aula]


Hoje nós temos uma aula muito especial para fazer. Ela faz parte de um conjunto de Kriyas que o Yogi Bhajan disponibilizou para o sistema imunológico. Dando sequência à nossa conversa, vamos ver onde o sistema imunológico encaixa no que a gente viu na semana passada. A gente trabalhou o sistema nervoso e glandular e aquela ideia ficou clara para vocês, com um eu pego o mundo e com o outro eu me entrego ao mundo, e o sistema imunológico está entre esses dois. Você põe o mundo para dentro e, ao fazer isso, responder ou não responder é crucial para o sistema imunológico. O sistema imunológico é crucial para a sua capacidade de processar o estresse. Na medicina, chamamos de resposta adaptativa. Se sua resposta adaptativa é ruim, o seu sistema imunológico sente.


Não estou falando dessas gripes coletivas que a gente tem, não é nada disso. Isso é normal. Gripar uma vez por ano é bom, a gente não deveria bater no peito e dizer que não gripa nunca. Uma gripinha é boa, melhora a nossa resposta imunológica, você ganha mais adaptabilidade, no ano que vem aquele vírus, com certeza, não vai te tomar. Não se enganem, somos nós que estamos invadindo o mundo das bactérias e vírus, nós é que somos os invasores, não são eles que nos invadem.


Não é dessa resposta imunológica que estou falando. Estou falando de quando nosso sistema imunológico é incapaz de se proteger contra as degenerações em larga escala. Aquelas que se instalam cronicamente em nós. Elas não dão sinais, não anunciam, e a maior de todas elas, com a qual a gente deveria se preocupar demais, que começa a se instalar aos trinta anos, trinta e poucos anos, e se manifesta depois dos cinquenta é o Alzheimer. Essa é uma grande preocupação. A falta de destreza mental, cerebral, neurológica é com o que deveríamos nos preocupar.


Essa é a primeira grande preocupação, quando o sistema imunológico fica refém desse processamento emocional da realidade. Quando isso combinado com um estilo de vida não yóguico, é fatal, uma alimentação pobre, uma alimentação que realmente não é pensada para o seu corpo, associada a um tipo de relaxamento que é sempre narcotizante. Hoje, a medicina funcional elege três pilares que deveriam sustentar a saúde de um ser humano comum, e realmente que vale para todos: a qualidade de exercícios que o corpo faz, a qualidade de alimentação que o corpo tem, e a qualidade do relaxamento que ele é capaz de ter. Isto é, uma mente relaxada, e aqui entra yoga e meditação. Nós já fazemos muito exercício, mas é claro, se você sente que está engordando, que precisa de aeróbico, precisa de movimentar o seu corpo, que alimentação é fundamental e que não existe uma regra genérica. Esses pilares compõem a condição mínima para o sistema imunológico sobreviver, ganhar adaptabilidade em cima de situações muito agressivas do meio.


Hoje, vocês precisam saber disso, que seus alunos estão nesse lugar, a doença que mais acomete ser humano é a ansiedade e depressão. Não estou falando só do Brasil. É um sofrimento mental, está no pilar do relaxamento da mente. Em segundo lugar, como consequência da ansiedade e depressão, estão as demências. Muito grave. Nós precisamos ter isso claro para nós. Nessa aula de hoje, o sistema imunológico vai dizer ao sistema nervoso que precisa ser ouvido. Ele vai dizer para o sistema hormonal que quer ser ouvido, vocês não vão dar respostas sem me envolver, essa é uma aula fabulosa para isso. Vocês compreenderam qual o papel do sistema imunológico? Não é fazer a gente não ficar doente. Ahh! Que maravilha quando nossas doenças eram infectocontagiosas! Eram só controlar o meio. Nossas doenças agora são chamadas de não comunicáveis, é a causa número 1 de morte. Setenta por cento das pessoas que morrem no mundo morrem por doenças não comunicáveis, ou seja, aquelas que não são transmitidas de um para outro, são as doenças degenerativas. No seminário "Fadiga da Compaixão", nós vamos falar um pouco sobre isso.


Kriya para fortalecer o sistema imunológico


Uma coisa que quero dizer: a seva tem o mesmo papel desse kriya. No nosso cotidiano, ao fazer Seva, estamos protegendo nosso sistema imunológico.


Do ponto de vista emocional, o que está por trás desse estresse do sistema imunológico? O Yogi Bhajan dizia o seguinte, quando você está “concerned”; não tentem traduzir esse termo, é como se fosse uma preocupação do bem. Ele dizia que isso é um processo do cérebro humano, é natural. É natural você estar numa situação perigosa e você se perguntar o que está acontecendo, se você está sob risco, então você está num estado de alerta e sua mente negativa ativou. Isso seria “concern”. É natural do cérebro humano, você está recebendo o mundo, e quando está tudo bem, você acha que está tudo maravilhoso e que está tudo fluindo dentro da vontade de Deus. Aí, quando tudo começa a ficar mal, você logo entra em alerta, a mente negativa se preocupa ali, ela se coloca em alerta. Naturalíssimo isso. O problema, então, de acordo com o que o Yogi Bhajan diz, é quando esse estado de alerta para aquilo que é um risco magnifica, vai ampliando, ele se torna uma preocupação. Aí vira o problema porque você sai de um estado em que é natural ativar a mente negativa para ver se tem algum problema e entra num estado de preocupação. Essa palavra já diz algo muito ruim, você se preocupa. Quando vira uma preocupação, aquilo se torna pessoal.


Quando você sai do estado de alerta e vai para o estado de preocupação você entrega todo o seu sistema hormonal para captar, para dar resposta a alguma coisa que você não está nem captando ainda, mas você se preocupou. Então você pôs dentro de você, captou com seu sistema nervoso algo que não estava nem acontecendo ainda. Essa é a preocupação. E na medida em que você colocou isso para dentro de você, tornou-se pessoal. Podia ser que aquilo não fosse nem te resvalar, fosse passar por você, ou te encostar e logo ir embora, mas no momento em que você se preocupa, você absorve e começa a responder, vira pessoal. A preocupação se associa a uma emoção do triângulo inferior chamada medo, e quando ele começa a ampliar, junto com a preocupação vira um desastre. Nesse momento você se envolve. Não era nada para você, mas você pegou. Essa primeira pose da aula de hoje é para o corpo radiante, porque na hora em que você estiver sob um evento com o corpo radiante ativo, antes de você se preocupar, você vai olhar, usando a mente negativa para observar a situação. E percebe que não é para preocupar naquele momento, ver se vai haver progressão, como uma criança com febre. A minha mãe já daria penicilina, a geração dos nossos pais dava logo antibiótico, mas hoje um bom pediatra pede para observar, ver com evolui. Então, é isso. É com você? Vamos ver, vamos observar, porque pode ser que você realmente tenha gerado a encrenca, mas você pode dissolver a encrenca também, e assim nada precisa entrar em você. Então o sistema imunológico sofre quando tudo vira pessoal, quando você se preocupa, você magnifica um estado de alerta com o medo e aí vira um desastre.


Nós precisamos muito compreender o que é seva nesta sangat, porque o músico que toca e fala que a seva dele é tocar música, isso não é seva, isso é o lugar de conforto. A seva é quando você está em serviço e é chamado para servir em algum lugar. Naquele primeiro momento, você é chamado para servir, se a primeira reação for "eu não vou, eu não posso, eu não tenho tempo" acabou. Você amarra um sentimento de dúvida: "será que eu vou dar conta", "será que eu vou ter tempo", "será que eu não vou ficar cansada", "será que se eu não deveria aceitar", "vai gerar um karma", aí vem uma culpa, entendem? Você se preocupou, acabou. Mas quando você fala: ai, Waheguru! Eu não sei se eu dou conta, se eu posso, se vai dar certo, se eu vou ficar doente, mas eu fui chamada, eu vou. Nessa hora, quando você vai o seu sistema não se enganchou pessoalmente com o negócio, totalmente impessoal. Naquele momento a sua reposta foi aceitar o que está sendo pedido, então você pôs o meio para dentro com seu sistema nervoso, e o seu sistema glandular não se preocupou, não começou a soltar cortisol, adrenalina, nada aconteceu. O seu sistema glandular estava esperando para ver o que ia acontecer, essa figura está precisando de força, ela está muito cansada, então vamos soltar um cortisol. É completamente diferente. Ele libera de acordo com o que você está realmente precisando, e o sistema imunológico realmente acompanha.


Por isso que o Yogi Bhajan dizia que Seva é tudo, é a cura de muitas coisas. E quando você se preocupa, a sua resposta glandular é totalmente nervosa. Você justifica atacando, ou ataca justificando. Por isso numa sangat nave-mãe como os peruanos nos chamam, a gente introduz já seva e sangat como parte nossa integral porque a seva dá conta do sistema imunológico e a sangat dá conta do sistema nervoso, porque faz a gente ficar bem nervosa, dá um a chance de a gente processar. Meu sistema está muito nervoso. E lembra, gente, quando você está atento e não preocupado, como o meu caso clínico que vou contar para vocês. Ontem eu estava muito cansada, muito cansada. Não sei isso tem a ver com o fato de nesses três últimos dias eu ter comido 38 maracujás. Eu estava querendo relaxar. A maracugina toda deve ter feito efeito ontem... Mas eu estava com mil coisas para resolver, tipo ir no Leroy Merlin, comprar coisas, fazer compras de Verdemar e resolver pepino sei lá de onde, tirar uma pessoa do buraco, então saí de casa e fui… Achei que não daria conta de chegar nem na Savassi de cansaço. Pensei que ia morrer no sinal. Fechei o olho e dormi o tempo do sinal. Então eu despertei e falei, deixa eu ir para o Leroy Merlin. Quando cheguei lá, não tive dívidas, entrei no estacionamento e dormi. Dormi no estacionamento do Leroy Merlin por 31 minutos. Foi a glória! Fechei o carro e dormi! Isso é você estar atento ao que está acontecendo com você. Eu sabia que precisava fazer isso. Aí depois meu dia foi ótimo, eu fui até 23:00. Vocês saberem se administrarem, sem se preocupar. Alguns de vocês, se estivessem sentindo o que eu senti ontem, provavelmente teriam me ligado, dizem que morreriam, que não conseguiam nem pensar… Isso é o estado de alerta e é pessoal.


May the long time sun shine upon you...


[Transcrição: Sada Ram Kaur]


Categorias
Posts Recentes
Arquivo
Tags  
SOBRE NÓS

A Associação Brasileira dos Amigos de Kundalini Yoga, filiada à Fundação 3HO, tem por propósito divulgar a tecnologia e os ensinamentos do Kundalini Yoga e do Shabad Guru no Brasil, servindo a todos na busca da excelência e da manifestação de seu ser original, criativo, livre e digno.

LOCALIZAÇÃO

Rua Yvon Magalhães Pinto, 511

São Bento .  Belo Horizonte

MG . 30350-560 . Brasil

Telefone: (31) 3090-5508 

secretaria@abaky.org.br 

CONECTE-SE

© 2018 por Abaky.

  • Instagram - White Circle
  • Facebook - White Circle
  • YouTube - White Circle
  • SoundCloud - White Circle