[GSK] Nós não estamos sós

11 Dec 2019

Aula ministrada por Gurusangat Kaur Khalsa em 22 de novembro de 2019

 

[GSK abre a aula]

 

A ideia de renascimento no Kundalini Yoga é liberar o subconsciente, a “despensa da miséria”. Os traumas do momento do nascimento ou da gestação estão registrados no subconsciente. Portanto, não é assim: “vou renascer” – como se pudéssemos ir atrás desses processos de renascimento que existem por aí e os traumas estariam resolvidos. Os traumas não ficam numa bolsinha a tira colo de forma que, quando fazemos o renascimento, abrimos essa bolsinha e limpamos o nosso cocô. Não é um aparato externo, está dentro do subconsciente. Não se limpa dessa forma. Se fizermos isso, reforçaremos a dor do trauma.

 

O alerta maior que podemos fazer é que não existe pílula para ficarmos bem. A única maneira de ficarmos bem é conhecermos nós mesmos. Sabermos onde estão nossas dores e traumas e lidarmos com isso aplicando a inteligência. Limpando nosso subconsciente, a despensa da miséria. É nesse sentido que o Yogi Bhajan aponta.

 

Dedicaremos este ano e o primeiro semestre do ano que vem à limpeza do subconsciente. Quando limpamos, e limpamos, e o subconsciente fica brilhante, não significa que limpamos o programa do nosso subconsciente. Lembram que antigamente havia um gravador que, quando apertávamos o REC, gravava? Essa seria a gravação do nosso subconsciente. Quando queríamos desgravar uma fita, apertávamos o REC e o Play juntos. Contudo, o subconsciente não tem REC e Play para se limpar. Por mais que limpemos o subconsciente, o programa dele permanecerá lá. O que teremos é maior conhecimento dele e maior controle dos seus impulsos.

 

Limpamos o subconsciente porque não queremos aquele tanto de filtro, que vem da programação do subconsciente, interferindo ainda mais na nossa visão da realidade. Quanto mais impuros ou pouco transparentes estiverem esses filtros, mais veremos a realidade através deles. Quando os filtros estão limpos, olhamos para a realidade a partir da visão mais direta possível dentro da programação do subconsciente. E podemos aplicar um tipo de controle ou inteligência sobre ela.

 

Tem dias que podemos ficar como eu ontem: três horas do dia lidando com uma cabeça dura, muito argumentativa, percebendo quando a pessoa está comunicando através dos filtros e apenas tendo compaixão e paciência para dar exemplo, dar exemplo, dar exemplo.

 

Kriya: House Cleaning 1, do Manual Rebirthing

Meditação com o mantra Gobinde Mukande

 

Uma das coisas que mais faz com que contraiamos muitas impurezas no nosso subconsciente é o medo. Uma vez o Yogi Bhajan disse: “Não existe nenhum problema que tenha sido criado por um ser humano que não possa ser resolvido por um ser humano”. Isso foi muito inspirador para mim. Não precisamos esperar que um asteróide caia na Terra. Se as coisas estão assim, e foram criadas por nós, elas podem ser resolvidas por nós. Isso demanda processos. Tempo.

 

Sabemos que há alguns anos está sendo instaurada uma política do medo no mundo todo. Como o Yogi Bhajan afirma, quando agimos com base no medo, sempre nos comprometemos, comprometemos nossos valores. O medo faz o nosso alcance ser de curto prazo, faz pensarmos em curto prazo. Nossos conceitos ficam estreitos. Queremos somente sobreviver agora. O medo faz com que sejamos seres humanos muito estúpidos.

 

Precisamos de toda forma combater o medo dentro de nós. Precisamos sentar e ouvir esse professor maravilhoso. Precisamos meditar. Precisamos ter um vichar. No Japji, o Guru Nanak fala em vichar, que é um mapa mental. É algo que coloca nossa mente num campo seguro. É um conceito mental que carregamos para nós. E o vichar que precisamos ter é que nada que tenha sido gerado por nós não possa ser consertado por nós.

 

Outro vichar importante para combatermos o medo é reconhecer que absolutamente nada que acontece no universo não é Sat Nam – algo que não tenha que acontecer. Não significa que não tenhamos que nos organizar e agir para restaurar o sagrado. Mas, às vezes, para termos uma clara necessidade de restaurar o sagrado, é preciso termos descido a profundos campos de escuridão para aprendermos a valorizar o sagrado. Não existe nada que aconteça que não tenha um ensinamento e um aprendizado.

 

Esse é um vichar bom para nos tirar do campo do medo. O medo nos torna estúpidos, manipuláveis, basicões, com visão e alcance estreitos. Ele tem a capacidade de turvar tudo. A aula de hoje nos deixa translúcidos. Não devemos permitir que o medo – a primeira imagem ou sentimento de medo – ocupe essa translucidez.

 

Em última instância, estamos juntos. Nós não estamos sós.

 

"May the long time sun shine upon you…"

 

[Transcrição: Sada Ram Kaur]

[Edição: Nav Amrita Kaur]

 

Please reload

Categorias
Posts Recentes

July 29, 2020

Please reload

Arquivo
Please reload

Tags